15.1.06

Nas cordas

Aurélio Fernandes insistiu em apresentar como desafio, no seguimento de anterior, a determinação de uma recta r que corte duas circunferências C1 e C2 dadas segundo cordas de que são dados os comprimentos c1 e c2, respectivamente.

Figuras equivalentes

Já por aqui apresentámos exercícios de equivalência de figuras, a saber: fizemos a quadratura (?) de um rectângulo qualquer e a determinação de um triângulo com a mesma área de um polígono qualquer, e não sei se mais alguma equivalência. Estou agora a propor que se estude a construção (só razoável?)
de um triângulo equivalente a um círculo dado;
de um triângulo equilátero equivalente a um círculo dado;
de um círculo equivalente a um triângulo dado;
de um círculo equivalente a uma coroa circular dada.

Do lado do pentágono regular

A verdade é que, quando coloquei a questão da construção de um pentágono regular de que se conhece o lado, não esperava que houvesse uma resposta como aquela que deu João Miguel Guerra Vieira (aluno da turma C do 11º ano na Escola José Estêvão).



Depois de ter justificado a divisão em cinco partes iguais feita a uma circunferência e com base nessa compreensão, João Miguel Vieira propôe a construção que aqui ilustramos. Tomou |AB|=5. Determinou M: |AM|=|MB| e L: ALM é triângulo rectângulo e |AL|=|AB|. Com centro em M e raio |ML| determinamos K. |AK| = 5.(1+raíz de 5)/2 (5x número de ouro) = diagonal do pentágono de lado 5 (|AC|=|BE|=|AD|=|BD|). Circunferências de raio |AK| centrados em A e B determinam D. Como intersecção da circunferência centrada em A e de raio |AB| com a circunferência centrada em B e raio |AK|, determinamos E. de modo análogo, determinamos C. É uma boa ideia.

E é claro que a construção de J. Vieira mostra que não é preciso conhecer o círculo circunscrito ao pentágono regular para a sua construção a partir do lado dado. Também se perguntava isso. A resposta não tardou.


Para quem se interessar pelo trabalho de João Miguel a respeito de pentágonos, aqui deixamos as 4 páginas manuscritas que nos ajudaram a perceber melhor e de outra forma o problema que tínhamos proposto. Podem ser descarregadas em páginas separadas no formato (.pdf): página 1; página 2; página 3; página 4.

Damos os parabéns ao João Miguel. E agradecemos à Mariana que nos trouxe e apresentou o João Miguel (como já nos tinha apresentado Afonso Graça).

3.1.06

uma ajuda? de presente em presente


Nunca pensámos em publicar a construção rigorosa do pentágono regular inscrito numa circunferência de raio dado (esta construção tem explicação matemática feita por A J Moreira Antunes na Gazeta da Matemática (SPM), depois de ter sido objecto de muita discussão por aqui na escola ao tempo da construção do dodecaedro - universo - que está no jardim). Aqui vai o desenho da coisa, em que M é ponto médio de OP, |MQ|=|MA| e |AQ|=|AB|... Penso que chega para se entender a construção.



Construir um pentágono regular inscrito numa circunferência de raio dado é assim.
E construir um pentágono regular de lado dado (lado 5, no caso)? Como determinar o círculo em que o pentágono se inscreve? E é preciso determinar um círculo?

Já agora! E construir, só com compasso!, os 5 pontos igualmente espaçados sobre uma circunferência dada? Como é?

28.12.05

Vamos lá ao pentágono

Aceitam-se propostas de construção rigorosa (com justificação matemática) de um pentágono regular de lado 5, por exemplo.

27.12.05

Um lado e duas medianas? Nem mais.


Com um lado e duas medianas, Afonso Graça do 11º ano, reconstruiu um triângulo. Para além de ter escolhido as medianas que nós nunca escolheríamos, ele apresentou-nos uma construção auxiliar original (ou que não conhecíamos) para dividir um segmento em 3 partes.
A Mariana, que tinha descoberto que a construção a fazer era afinal aquela do trapézio dadas uma base e as diagonais, recebeu a resolução do Afonso em papel e fez a respectiva construção em Cinderella para que seja vista. Aqui vai.



Para ver a resolução do Afonso Graça
clique nesta ilustração (afonsina e cheia de graça).

Cordas iguais em circunferencias diferentes



Para ver os passos da Mariana
em volta da sua construção
clique nesta ilustração.

2014
EUCLIDES
Instrumentos e métodos

de resolução de problemas de construção